2 de jan de 2010

Imaginação

"Então, como tudo ia acabar, em imaginação vívida, pegou a mão livre do homem, e em imaginação ainda, ao prender essa mão entre as suas, ela toda doce ardia, ardia, flamejava."

Nenhum comentário:

Postar um comentário