12 de mar de 2011

Os outros

Que coisa estranha: até agora eu parecia estar querendo alcançar com a última ponta de meu dedo a própria última ponta de meu dedo - é verdade que nesse extremo esforço, cresci: mas a ponta de meu dedo continuou inalcançável. Fui até onde pude. Mas como é que não compreendi que aquilo que não alcanço em mim... já são os outros? Os outros, que são o nosso mais profundo mergulho! 
Em "A Maça no Escuro", p. 310, Rocco.

Um comentário:

  1. Tem melhor que ela? Essa mulher não existiu. Brincava de escever. Cada palavra dela é divina. Clarice Lispoector, eu te amo, sem mesmo ter conhecido-a.

    ResponderExcluir