5 de abr de 2010

Desprendimento

"E já não estava mais à mercê de ninguém. Desesperada porque, vigorosa, livre, não estava mais à mercê. Perdera a fé."

Nenhum comentário:

Postar um comentário